5.8.16

Adeus!

Primeiramente peço desculpas à minha vó, ela não merece passar por isso. Sei que é impossível compreender.
Desde a minha juventude venho pensando em me matar e acho que esse momento chegou. Não sou feliz, não sinto mais prazer em viver.
Algumas pessoas me traíram e estou completamente sozinho, isolado na minha ilha triste. Não quero Wilker, Moysés, meu pai ou Nidosa no meu enterro - todos eles acabaram comigo quando ofereci minha amizade.
As pessoas não sabem, mas sofro de contínua depressão e estou totalmente como dependente químico, apesar de fazer tratamento, é muito duro. Não sou nada e não produzo nada para ninguém.
O cotidiano se torna cada vez mais insuportável e minha vida sem sentido. Na verdade já estou morto.
Vó, eu te amo mais que tudo e isso que levo. Obrigado e desculpa!
Minha irmã Ana Júlia, por favor tente ser feliz, não siga meus passos.
Viviane, você é a mulher que amo, perdão por não ter correspondido a altura. Levo as melhores lembranças de você!
Não consigo suportar mais tanta dor e principalmente muita hipocrisia na esquerda. Marcos, perdão não conseguir fazer tua campanha, você é um grande homem!
Vou embora com muitas mágoas, sentirei saudades de muitos momentos.
Essa dor nunca cessará,
Daniel.

1.8.16

LX

Dar fim a si próprio ou achar no âmago os meios para os fins.
Desculpa, minha vó, mas a dor é muito grande, já não consigo suportar.
Pretendo um ato egoísta, mas não consigo aguentar essa cruz por mais anos.

Sim, já fui alegre e lembro bem;
Não tenho saudades, mas a certeza de que essas sensações findaram-se.
Então, o que me resta.

Possuo uma carta de suicídio na minha cabeça, quase pronta;
Ian Curtis se enforcou na minha idade.


LIX (Um novo dia começa)

Acabou.
Quando mais precisava minha sanidade esvaiu-se;
Falhei em tudo.
Compulsivo, sem direção.
Não consigo ser um companheiro para a pessoa que amo.
A revolução não chegará tão cedo.
Estou tentando aprender a fazer uma forca.
Só isso e a normalidade ainda repousará sob o sol.